Resíduos de Saúde

São todos os serviços relacionados com o atendimento à saúde humana ou animal.


Conforme as Resoluções CONAMA e ANVISA

- Resolução CONAMA Nº 283/2001 – Dispõe sobre o tratamento e a destinação final dos resíduos dos serviços de saúde. Disponível no site: CONAMA Nº 283/2001

- Resolução ANVISA RDC Nº 306/2004 – Dispõe sobre o regulamento técnico para o gerenciamento de resíduos de serviços de saúde. Disponível no site: ANVISA RDC Nº 306/2004

Portaria FATMA nº 194/2016 - MTR – Manifesto de Transporte de Resíduos

Todos os geradores de resíduos de serviços de saúde deverão utilizar o sistema da FATMA – Fundação do Meio Ambiente, para emitir o MTR – Manifesto de Transporte de Resíduos e Rejeitos – que servirá como um instrumento de fiscalização perante o órgão ambiental e da destinação correta de seus resíduos a serem descartados.

Transportadores e destinadores, só poderão fazer o recolhimento e recebimento dos resíduos mediante este documento  - MTR, o qual poderá ser emitido via site mtr.fatma.sc.gov.br.

TRATAMENTO DOS RSS

AUTOCLAVE – esterilização a vapor saturado sob pressão superior à atmosfera com a finalidade de se obter a esterilização do resíduo.

Os resíduos são colocados até uma câmara estanque onde é feito o vácuo e injetado vapor d’água a uma temperatura que vai até 150º C. São realizados testes químicos e biológicos para comprovar se os resíduos foram esterilizados.

Cado etapa do processo de autoclavagem é registrado em ticket impresso, onde mostra as informações de cada ciclo. 

Todas bombonas passam por processo de higienização para posteriormente ser encaminhadas para o cliente.

Gerenciamento dos resíduos de saúde

Todo gerador deve elaborar um Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde - PGRSS, baseado nas características dos resíduos gerados e na classificação estabelecendo as diretrizes de manejo dos RSS.

O PGRSS a ser elaborado deve ser compatível com as normas locais relativas à coleta, transporte e disposição final dos resíduos gerados nos serviços de saúde, estabelecidas pelos órgãos locais responsáveis por estas etapas.

A identificação constante na NBR-7500 da ABNT consiste no conjunto de medidas que permite o reconhecimento dos resíduos contidos nos sacos e recipientes, fornecendo informações ao correto manejo dos RSS.

- O Grupo A é identificado pelo símbolo de substância infectante com rótulos de fundo branco desenho e contornos pretos.

- O Grupo B é identificado através do símbolo de risco associado com discriminação de substância química e frases de risco.

- O Grupo E é identificado pelo símbolo de substância infectante com rótulos de fundo branco desenho e contornos pretos, acrescido da inscrição de RESÍDUO PERFUROCORTANTE, indicando o risco que apresenta o resíduo.

Locais Atendidos

Hospitais

Laboratórios

Veterinárias

Funerárias

Tatuadores

Dentistas

Farmácias

Ambulatórios

Clínicas

Acupunturas

Unidades de Saúde

Entre outros